post

Efeito Colateral … do Remédio ou da Enxaqueca?

Sintomas da Enxaqueca Parecem Efeito Colateral Do Remédio

efeito colateral Efeito Colateral ... do Remédio ou da Enxaqueca?

Efeito Colateral do Remédio ou da Enxaqueca?

Frequentemente, sofredores de enxaqueca podem deparar com a seguinte situação: um remédio alivia a dor de cabeça da crise de enxaqueca propriamente dita, mas deixa, em troca, algum efeito colateral que se traduz em sintomas como sonolência, tonturas, náuseas, letargia, mal-estar, dores no corpo, pressão baixa etc, que podem durar várias horas.

Esses sintomas costumam ser invariavelmente interpretados como efeito colateral do remédio. Afinal, foram sentidos após o remédio ter sido tomado.

Mas existe uma outra possibilidade.

Vamos analisar a situação mais especificamente: digamos que, após a tomada do remédio, a dor de cabeça aliviou e os sintomas acima surgiram à tona. Os sintomas, portanto, começaram a ser percebidos após o alívio da dor de cabeça.

Ora, sabemos que, embora a dor de cabeça costume ser o sintoma mais dramático da enxaqueca, os sintomas da enxaqueca não se restringem unicamente à dor de cabeça (clique aqui para conhecer vários outros sintomas da enxaqueca além da dor de cabeça). Visão embaçada, aversão à luz e ao barulho, tonturas, bocejos, sonolência, distúrbios da memória e concentração, náuseas, fraqueza e desânimo, são apenas alguns dos possíveis sintomas da enxaqueca além da dor de cabeça.

E o que aconteceria se um dado remédio aliviasse a dor de cabeça mas não os demais sintomas?

Tais sintomas, até então não muito claros para o indivíduo que estava dominado pela intensa dor de cabeça, passam a ser mais nitidamente percebidos no momento em que a dor de cabeça deixa de existir ou diminui consideravelmente, pela ação do remédio.

Em outras palavras, o remédio pode ter aliviado a dor de cabeça – e agora, sem a dor, os demais sintomas passam a ser percebidos, levando a pessoa facilmente a pensar que tais sintomas só poderiam ser efeito colateral do remédio que foi usado para tratar a dor de cabeça. A questão é que tais sintomas poderiam já estar presentes, mas eram ofuscados pela intensa dor de cabeça!

Conclusões:

1. A enxaqueca, em sua constelação de sintomas, é uma doença muito complexa que pode atrapalhar a qualidade de vida e desempenho de um indivíduo de uma forma muito maior que a dor de cabeça isoladamente.

2. Existe a possibilidade de um remédio, ao aliviar a dor de cabeça da enxaqueca, não ser capaz de aliviar os demais sintomas, os quais passam a ser o maior incômodo após o alívio da dor. Esse incômodo pode se manifestar por vários sintomas e ser confundido com efeito colateral do remédio.

3. Existe também, é claro, a possibilidade dos sintomas remanescentes serem, de fato, provocados, no todo ou em parte, pelo efeito colateral remédio em questão. Leia mais sobre as diversas possibilidades de tratamentos da enxaqueca AQUI e AQUI.

Na minha opinião, a melhor maneira de se livrar ao máximo do surgimento da dor de cabeça e também de todos os demais sintomas da enxaqueca (e portanto da necessidade de tomar remédios que podem causar uma série de efeitos colaterais, ou reduzir a dor de cabeça e deixar sintomas residuais da enxaqueca que, por sua vez, podem ser confundidos com efeitos colaterais) é se empenhar em uma série de mudanças de hábitos e estilo de vida. Essas mudanças podem influenciar os neurotransmissores envolvidos na causa da enxaqueca, e são detalhadamente explicadas no meu livro, cuja leitura recomendo a todos os portadores dessa doença até hoje tão repleta de pontos de interrogação, que é a enxaqueca!

LEIA MAIS:

CONSULTAS COM DR. ALEXANDRE FELDMAN – MAIORES INFORMAÇÕES

REMÉDIOS PARA PRESSÃO ALTA TRATAM ENXAQUECA

Comentários dos Meus Leitores

  1. Imagem de Mariana Hart comentou

    Prevenção é o melhor remédio!

    Li o livro em outubro, e desde o dia (inesquecível) 20/01 não vou ao PS tomar tramal na veia. Saía de lá totalmente drogada,com todos esses efeitos colaterais e mais um pouco,mas acabamos”aceitando” por qualquer coisa ser melhor que uma crise de enxaqueca. minhas idas ao PS eram frequentes,uma média de 3 a 4x/mês.

    A alimentação, atividade física, acupuntura mudaram minha vida! E claro,o livro na minha mesinha de cabeceira! Sou eternamente grata! :))

  2. Imagem de Amelia Pucu de AraujoAmelia Pucu de Araujo comentou

    Concordo plenamente com o artigo do Dr Feldman. Consegui ficar praticament curada da minha enxaqueca fazendo homeopatia, acupuntura e mudança de determinados habitos alimentares. A tensão e o estresse do dia a dia são a meu ver os maiores vilôes dessa terrivel doença. mas há luz no fim do tunel,qdo a pessoa se propoe a realmente mudar alguns habitos e comportamentos. Mais uma vez parabens pelo maravilhoso trabalho que o senhor vem fazendo e muito obrigada tb pelas suas orientações tão valiosas.

  3. Imagem de Luana AmaralLuana Amaral comentou

    Nunca tinha pensado por esse lado…
    Para mim, esses efeitos eram sempre do remédio.
    Realmente a enxaqueca é uma doença bastante complicada…
    Como as colegas que postaram acima, também consegui ótimos resultados com homeopatia e acumpuntura, mas a mudança nos hábitos alimentares foram fundamentais para a melhora da minha enxaqueca. Há 5 anos comprei o livro “A dor de cabeça morre pela boca”. Também parabenizo o Dr. Feldman pelo grande trabalho, livrando as pessoas desse terrível mal.

  4. Imagem de ChristianeChristiane comentou

    Oi gente, é tão bom saber que não estamos sozinhos !! Infelizmente ainda estou passando por muita dor e os “efeitos colaterais” dos remédios andam acabando com o meu dia de trabalho. Também li o livro, tirei o leite, açucar eu já não como mesmo pois tenho hiperinsulinemia, os adoçantes é que estão difíceis de tirar totalmente. Amanhã vou voltar as sessões de acupuntura e espero que melhore um pouco, faz 3 meses seguidos que tomo 3-4 doses de analgésico/dia, e depois que passa a dor fico mega enjoada. Estou bemmmm cansada disso…

  5. Imagem de niedja gonçalves de araújoniedja gonçalves de araújo comentou

    Há mais de 10 anos sofro de enxaqueca, ou talvez cefaléia tensional. Já fiz vários tratamentos. A acupuntura foi ineficaz no meu caso, bem como homeopatia. Hoje sinto uma leve melhora com a mudança do hábito de vida e o meio medicamentoso. Hoje sou acomnpanhada por uma neurologista muito competente e juntas estamos tentando diminuir os males que esta doença me traz. Li os livros acima descritos pelos colegas enxaquecosos e me ajudaram bastante em alguns esclarecimentos. Hoje tenho uma qualidade de vida 30% melhor do que há 10 anos, mas não desisto. Continuo na luta.

  6. Imagem de Tatiani Arrisso BuenoTatiani Arrisso Bueno comentou

    Olá, qdo comecei ler o livro Enxaqueca só tem quem quer, me senti tão eufórica com as palavras do Dr que recomendei a toda minha família ler, eles convivem comigo e é de extrema importância saberem a fundo da doença, que não se trata de uma simples dor de cabeça! Ela afeta minha vida como um todo!! E como relata o artigo, após a crise me sinto com o corpo “destruido”, muito mal estar e como se fosse uma ressaca!!

  7. Imagem de MarcosMarcos comentou

    Uma coisa que notei é que o uso de analgésicos na enxaqueca, com o tempo tem menos efeito na dor e a enxaqueca com o passar dos anos tende a mudar os seu sintomas, pelo menos foi assim comigo que sofro com enxaqueca há 38 anos.

  8. Imagem de Jose Olavo Ribeiro de MelloJose Olavo Ribeiro de Mello comentou

    Li todos os depoimentos e me deu uma enorme esperança de alivio saber que tenho condições de melhorar minha dor de cabeça, comprarei o livro com a maxima urgencia, para poder melhorar minha qualidade de vida, pois tenho essa dor a mais de 40 anos…… terrivel……..

  9. Imagem de Silvia Marise Brancaccio SilvaSilvia Marise Brancaccio Silva comentou

    Depois que comecei a fazer acumputura melhorei bastante da enxaqueca , voltei até a estudar estou retomando a minha vida normal. obrigada pelas dicas , mudei até a minha alimentação e
    tenho também procurado dormir sempre no mesmo horário e acordado bem cedo com isso consegui melhorar a minha vida
    sem ter enxaqueca. Obrigada.

  10. Imagem de Patricia VenceslauPatricia Venceslau comentou

    Oi Doutor tudo bem? entrei no seu site e Amei saber sobre enxaqueca..tenho 32 anos e tenho exaqueca desde dos 5 anos de idade,,,tomo Excedrin para a dor mais fraca e Zomig para quando a dor esta intensa.Queria muito comprar seu livro (enxaqueca so tem quem quer.)mas moro no USA NJ e nao tem aqui..vc sabe como posso encontra-lo aqui?muito obrigada e espero que possa escrever mais e mais livros ..abraco.Patricia Venceslau

    • Imagem de HerikoHeriko comentou

      Patricia dá pra comprar o livro como ebook e ler em seu computador. Foi assim que eu li o livro.

  11. Imagem de Shirlei da CostaShirlei da Costa comentou

    Caro Dr. Alexandre.
    Recentemente houve uma grande descoberta para os sofredores de enxaqueca.
    Nao achei nenhum comentario no seu site a respeito, eu nao procurei o bastante ou voce preferiu nao opniar?
    Obrigada

  12. Imagem de Shirlei da CostaShirlei da Costa comentou

    Caro Dr Alexandre
    Recentemente houve uma grande descoberta para os sofredores de enxaqueca, nao achei nenhum comentario seu a respeito, nao procurei o bastante ou voce escolheu nao dar a sua opniao?

  13. Imagem de RenataRenata comentou

    Espasmos faciais, não somente na área dos olhos, podem representar efeitos colaterais de remédios pra enxaqueca?? Em crises longas de enxaqueca eles costumam surgir e demoram bastante pra desaparecer, chegando a ser constrangedor (Coloco as mãos sobre a área afetada durante vários minutos) Tomei algum tempo remédio manipulado, mas a cada aumento da incidência dos “tremores” aumentava também a dose de amitripitilina no remédio, o que passou a me preocupar, encerrando assim meu uso do tal medicamento. Até ontem, fazia uso do Ormigrein, já agora…

  14. Imagem de Andréa RégiAndréa Régi comentou

    EXATAMENTE O QUE OCORREU COMIGO E MINHA FILHA DE APENAS 16 ANOS,POIS A MESMA SOFRE DO MAL DA ENXAQUECA DESDE MUITO PEQUENA E PARA SE DIAGNOSTICAR A ENXAQUECA PASSAMOS POR MAUS MOMENTOS;ATÉ TUMOR VIRAM EM MINHA MENINA ENFIM OS SINTOMAS SÃO COMPLEXOS E PERTURBADORES.

  15. Imagem de RaquelRaquel comentou

    Olá Dr. Feldman,

    Gostaria de saber a sua opinião em relação ao tratamento da enxaqueca através de medicamentos psiquiatricos. Recentemente estive com um psiquiatra que me receitou um remédio para fibromialgia para tratar minhas enxaquecas… fiquei um pouco assustada e decidi tentar a homeopatia primeiro.. mas gostaria muito de saber a sua opinião a respeito.
    Agradeço desde já.

    • Imagem de Dr. Alexandre Feldman comentou

      Raquel, remédios psiquiátricos são amplamente utilizados para o tratamento da enxaqueca, tanto preventivo (antidepressivos, estabilizadores do humor etc) quanto na crise (clorpromazina, prometazina, haloperidol etc). O mecanismo de ação desses remédios na enxaqueca é diferente daquele que trata os sintomas psiquiátricos. É efetivamente como se o efeito sobre a enxaqueca fosse mais um efeito colateral do remédio.

      Leia meu livro para ter muito mais informação sobre a enxaqueca e suas possibilidades de melhora.

  16. Imagem de Sergio FranczakSergio Franczak comentou

    Boa tarde Dr Alexandre.
    Recentemente li um artigo abordando o uso de ondas magneticas contra a enxaqueca, a aplicacao utilizaria um aparelho portatil denominado Cerena Transcranial Magnetic Stimulator.
    O Sr tem alguma informacao quanto a validade deste tipo de tratamento?
    Um abraco.

Trackbacks

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Notify me by email when my comments gets approved.

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>