Dicas   
 
  Newsletter

Receba, gratuitamente, artigos sobre dor de cabeça e enxaqueca. Coloque seu e-mail no campo abaixo:

 
  Busca no Site Enxaqueca

  Saiba mais
O uso frequente de analgésicos comuns pelos portadores de enxaqueca e dor de cabeça pode acarretar em dependência.

  Testes online:
  Aprenda a se conhecer

 

Dicas Sobre Enxaqueca

Compartilhar no Facebook

Leia cuidadosamente esta página! Ela contém:

- Informações sobre o mais novo, mais importante e mais completo livro sobre enxaqueca da atualidade: ENXAQUECA - SÓ TEM QUEM QUER

- Depoimentos de leitores que melhoraram seguindo as orientações do livro; e ao final,

- Dicas alimentares para você!

Boa leitura.

 

ENXAQUECA - SÓ TEM QUEM QUER

O MELHOR E MAIS COMPLETO LIVRO DA ATUALIDADE PARA QUEM QUER SE LIVRAR DA ENXAQUECA

Caso deseje adquirir o livro ENXAQUECA - SÓ TEM QUEM QUER, CLIQUE AQUI

 

Livro Enxaqueca Só Tem Quem QuerVocê já se perguntou de onde vem sua enxaqueca?

Talvez você seja uma das muitas pessoas que já passaram por uma infinidade de exames, buscando por uma resposta a essa pergunta. Exames de sangue, eletroencefalogramas, mapeamentos cerebrais, tomografias, ressonâncias magnéticas, líquor, testes de alergias, raios-X dos seios da face... a lista é ao mesmo tempo grande e desanimadora, pois não importa a quantidade de exames - nenhum deles, por mais sofisticado que seja, é capaz de apontar claramente a causa das dores de cabeça e demais sintomas da enxaqueca.

Por que será isso?

Simples: porque a enxaqueca compreende uma série de desequilíbrios químicos no nosso cérebro, os quais não são detectáveis por nenhum exame. Tais desequilíbrios simplesmente se traduzem nos sintomas da enxaqueca.

E qual a causa desses desequilíbrios químicos?

Embora a medicina ainda não possua uma resposta exata para essa pergunta, a ciência de ponta já demonstrou que existe uma relação entre os nossos hábitos cotidianos - nosso dia-a-dia - e os níveis de uma série de substâncias cerebrais, que uma vez em desequilíbrio, são capazes de provocar o caos na nossa vida - inclusive os sintomas da enxaqueca.

O livro Enxaqueca - Só Tem Quem Quer desvenda essa relação!

Neste livro, você descobrirá, através de uma leitura envolvente, como seus hábitos e estilo de vida possuem o incrível poder de influenciar a química cerebral, e até a produção de hormônios, capazes de mudar seu destino e sua história de vida para melhor. Muito melhor!

Neste vídeo, o próprio Dr. Alexandre Feldman explica a importância deste Livro. Se você não assistiu no início desta página, assista agora!

Você compreenderá porque 'só remédios' não bastam!

A dor de cabeça da enxaqueca tem sido tratada unicamente com remédios, os quais possuem efeito imediatista e paliativo. Em outras palavras, não atuam na causa, mas sim no sintoma. Já as mudanças - para melhor - de estilo de vida, descritas neste livro, são capazes de atuar, de dentro para fora, sobre a mesma química cerebral que se encontra envolvida na causa da enxaqueca.

Você e seu médico - uma pareceria ideal... Mas cada um possui a sua parte no tratamento.

Experimente algo que você nunca tentou: enquanto seu médico faz a parte dele (minimizar seus sintomas), você faz a sua parte: modifica seu sono, sua alimentação, seu equilíbrio hormonal, seu condicionamento físico, sua mente como um todo. O livro Enxaqueca - Só Tem Quem Quer traz um roteiro detalhado sobre como e porque realizar essas mudanças com sucesso.

Quase 20 anos de experiência, em 300 páginas!

Saiba mais sobre Consuiltas com Dr. FeldmanO Dr. Alexandre Feldman resumiu, neste livro, toda a sua experiência pessoal, a partir do tratamento de milhares de pacientes portadores de enxaqueca em seu consultório. Se você está esperando que este livro seja 'apenas mais um livro sobre enxaqueca', daqueles em que o autor quase não emite suas próprias opiniões, então você terá uma agradável surpresa. No livro Enxaqueca - Só Tem Quem Quer, o Dr. Alexandre Feldman conversa abertamente e dá sempre sua opinião pessoal sobre os assuntos tratados.

Complemente sua leitura com as informações do site Enxaqueca.com.br.

Este site pode ser uma fonte muito útil de informações e dicas para todo mundo - mas com certeza, as milhares de pessoas que lerem o livro Enxaqueca - Só Tem Quem Quer estão aproveitando este site muito mais! Os artigos daqui, atualizados constantemente, complementam as valiosas informações contidas no livro. É muito bom quando se pode ler um livro, e depois ir ao site do autor, e até interagir no Blog.

Se você está à busca de uma ação mais abrangente, que envolve o seu empenho pessoal, então leia este livro e descubra quanto sua vida pode mudar para melhor.

CLIQUE AQUI
para comprar o livro
ENXAQUECA - SÓ TEM QUEM QUER agora mesmo

DEPOIMENTOS

A seção abaixo é dedicada aos depoimentos de leitores.

Pensando naquelas pessoas que estão desacreditadas após tantas tentativas e tratamentos inúteis, publicamos abaixo alguns desses depoimentos. São relatos de pessoas que escrevem para contar como a leitura do Livro e a aplicação de seus ensinamentos trouxe melhoras à sua vida.

 

Depoimento enviado por Flávio Soares (via Facebook) no dia 4 de Março de 2012

Comprei um livro Enxaqueca só tem quem quer e me arrependi... Devia ter comprado dois! Para um livro de grande importância como esse, devemos ter no mínimo duas cópias.

Depoimento enviado por Marielze Danesi (via Facebook) no dia 1° de Março de 2012

Dr. Alexandre, quero compartilhar que seu livro tem me ajudado muito e que minhas crises de enxaqueca quase não acontecem mais. Realmente a mudança no estilo de vida e o cuidado na alimentação fizeram uma grande diferença. Para quem tinha crise quase todo dia, e agora tem uma por mês e até menos me considero vitoriosa nessa batalha! Obrigada por exercer a medicina com tanta dedicação!

Depoimento enviado por Doris Pries Bierbauer (via Facebook) no dia 28 de fevereiro de 2012

Este livro é fantastico e imperdível !!! Acho que todos deveriam ler, mesmo não tendo enxaqueca !!!

Depoimento enviado por Patricia Valente (via Facebook) no dia 28 de fevereiro de 2012

Aqui em casa não sou a única, tem meu pai e minha irmã com esta mesma enxaqueca. Minha enxaqueca sempre foi três dias seguidos. Eu acordava com dor, passava o dia com a dor, mas antes de deitar tinha que tomar uma injeção ou nem dormia, pois já tenho insônia. São duas coisas desgastantes. Li seu livro, vejo que lá cada página é uma aula para quem sofre deste mal. Eu estou já tem um bom tempo sem dor. Sei agora o quanto vale a aula Dr. Feldman. Ler é sempre produtivo. "Enxaqueca - Só Tem Quem Quer" é um remédio sem contraindicações.

Depoimento enviado por Lorrayne Soares (via Facebook) no dia 24 de fevereiro de 2012

Eu comprei o seu livro da Enxaqueca e recomendo para todos os enxaquecosos!!!

Depoimento enviado por Beth Domingues (via Facebook) no dia 14 de fevereiro de 2012

A minha vida pode ser definida como antes e depois do tratamento de enxaqueca. A leitura do livro e a sua orientação mudaram o meu estilo de vida. não tenho mais dores de cabeça e sintomas relacionados a enxaqueca. As crises semanais desapareceram. Recomendo.

Depoimento enviado por Mara Pinho de Melo (via Facebook) no dia 3 de agosto de 2011

Tenho enxaqueca há mais de cinquenta anos.Minhas crises foram amenizadas com a leitura do seu livro.Gostei muito e o recomendo sempre que conheço um enxaquecoso.

Depoimento enviado pelo médico Dr. Carlos Braghini Jr. (via Facebook) no dia 2 de fevereiro de 2011

Mais um brilhante livro do Dr. Alexandre Feldman. Didático e de fácil aplicação no dia-a-dia, Feldman é um dos raros médicos deste país que podem falar sobre o tema alimentação e estilo de vida com conhecimento de causa. Leitura obrigatória para quem sofre de enxaqueca... e para quem não quer ter enxaqueca. Recomendo.

Depoimento enviado por Higya Alessandra Merlin (via Facebook) no dia 1° de Fevereiro de 2011

Esse livro tornou-se meu guia de estilo de vida. Recomendo por ser extremamente útil para todos, inclusive para quem não sofre de enxaqueca.

Depoimento enviado por Cristiane G. Dib (via Facebook) no dia 25 de abril de 2010

Tive a oportunidade de de ler "Enxaqueca, Finalmente uma Saída", "A Dor de Cabeça Morre Pela Boca" e "Enxaqueca, Só Tem Quem Quer", todos esses escritos pelo Dr. Alexandre. Ao ler estes livros, senti como se estivesse lendo sobre minha vida, pois era exatamente o que tinha e os problemas que enfrentava. Minhas crises eram terríveis. Começava sempre com formigamento nos braços, a língua ficava estranha, não conseguia me expressar direito e em seguida, sempre vinha uma forte dor em cima dos olhos. [...] Hoje faz 1 ano e 5 meses que eu não sei o que é ter enxaqueca. Espero nunca mais saber!!! 

Depoimento enviado por Mari Hart (via Facebook) no dia 11 de janeiro de 2010

Já li e reli o livro diversas vezes, e sempre que preciso recorro a ele. Desde outubro de 2009 qdo tive a felicidade de encontrar em uma livraria posso dizer com todas as letras que minha vida mudou. Minhas crises semanais se tornaram mensais e no último 20/01 fez 1 ano em que não vou ao PS tomar medicação (tramal) na veia que era a única maneira de controlar uma crise. Ainda tenho enxaqueca, mas com menos intensidade e menos frequência, não tomo mais remédios, estou mais magra, saudável apenas mudando os hábitos de vida e muito feliz! Recomendo a todos, não apenas aos enxaquecosos. É uma aula sobre alimentação, estilo de vida e saúde!

Depoimento enviado por Rosemeire Ferreira em 4 de janeiro de 2010

Está fazendo exatamente um ano que li o seu livro, e simplesmente mudou a minha vida, para melhor é claro!

Mudei meu estilo de vida, começando pela alimentação e sono, e foi fantástico! Estava com crises de enxaqueca semanais, em uso de naramig 1 caixa por semana e nada, as crises cada vez mais recorrentes e fortes. Agora tenho crises esporadicamente, isso é ótimo, posso dizer que tenho qualidade de vida.

Indico seu livro sempre para todos os enxaquecosos... e agora entendo perfeitamente o título de seu livro, que quando li numa pesquisa na internet eu fui correndo ler, pensei no primeiro momento "- Ele não sabe o que está dizendo (eu não quero ter enxaqueca e tenho)", mas agora concordo plenamente com você!

Um abraço para você e a família.

Muito obrigado.

Rose

Depoimento enviado dia 9 de janeiro de 2010 por Viviane de Freitas:

Tive depressão desde os 9 anos de idade (agora tenho 34) e tratei de todas as formas possíveis. Aos 28 comecei a ter labirintite, tomei imensa quantidade de remédios mas não ajudavam em nada, até que há 1 ano comecei a ter fortes dores de cabeça que foram diagnosticadas como enxaqueca. Aí eu não sabia o que era pior, a enxaqueca, a depressão ou os desmaios por causa da labirintite.

Quando descobri seu site me empenhei em seguir todas as dicas deles, dos livros e fazer as receitas da Pat. Parei de tomar adoçante, leite, glutamato, enlatados, corantes, refri, introduzi na minha dieta ovos caipiras, carne (quase não comia carne nem ovos), pães com a receita da Pat e tudo mais.

Para minha surpresa, em apenas 2 meses parei de tomar todos os remédios, e agora faz menos de um ano que sigo as receitas e dicas e não tenho mais crise nem depressão. É realmente incrível. Sinto como se tivesse nascido novamente... melhorou meu casamento, meu relacionamento com as pessoas, com meus filhos e a forma de ver a vida. Eu devo tudo isso a você e à sua esposa. Muito obrigada.

Depoimento enviado dia 16 de fevereiro de 2008 pelo leitor Luís Carlos Demetrio Laranjeira (Santos, SP), publicado no Orkut:

Fico impressionado com o número de pessoas que se queixam de enxaqueca; a prática confirma a estatística de que aproximadamente 20% das pessoas sofrem desse mal.

E igualmente impressionante é a relutância da grande maioria dessas pessoas em adotar hábitos saudáveis que COMPROVADAMENTE funcionam.

Sofro de enxaqueca desde a infância e Deus sabe o trabalho que dei à minha mãe com consultas, exames, crises em viagens, etc.

De lá pra cá venho tentando de tudo: diversos tratamentos alopátcos (que só funcionam durante a ingestão das drogas), homeopatia, acupuntura, reza brava, etc.

Antes de ter a felicidade de tomar conhecimento do livro do Dr. Feldman, eu vinha ingerindo mensalmente uma caixa com 10 comprimidos daquele analgésico que contém Ergotamina (os analgsicos comuns não surtiam o menor efeito) e as crises eram sempre incapacitantes.

Por isso eu nunca desisti de pesquisar. Eu tinha um motivo e me foi dada uma chance. Li o livro como quem lê um manual de sobrevivência; enchi-me de coragem e fiz a dieta rigorosamente, abrindo mão do prazer em benefício da saúde.

Durante a dieta, experimentei situações curiosas como, por exemplo, a incredulidade das pessoas que me viam comer pratos imensos (a dieta é qualitativa e não quantitativa) e apesar disso perder peso.

Com relação s crises, então, nem se fale; posso dividir a minha vida em AD e DD (antes e depois da dieta). As crises diminuram em freqüência e intensidade e aquelas mais persistentes que não desaparecem com os chás de alecrim, manjericão, gengibre ou pimenta, são debeladas com um analgésico comum.

Tornei-me o “chato da enxaqueca”; qualquer conversa que introduzisse uma palavra-chave era o gatilho para que eu dissertasse sobre as maravilhas do livro e da dieta.

E percebi que, infelizmente, nem todos estãã dispostos a um pequeno sacrifício (de três meses) que melhorará significativamente a sua qualidade de vida.

Portanto, se você leu até aqui, sofre de enxaqueca e pretende livrar-se dela e dos medicamentos, leia o livro “Enxaqueca, Finalmente uma Saída” marque um dia, planeje, elabore um cardápio com a ajuda da Pat (autora do livro “A Dor de Cabeça Morre Pela Boca”) e inicie a dieta.

Depois, aproveite o embalo e livre-se permanentemente de coisas como leite, soja, glutamato monossódico, enlatados e outras tranqueiras... e viva melhor!

Nota: Não conheço pessoalmente o Dr. Feldman, tampouco a Pat não tenho nenhuma participação financeira na venda dos livros. A minha motivação é compartilhar uma experiência que pode melhorar a vida de qualquer um que esteja realmente disposto a fazer algo em favor de si mesmo.

“E responderemos não apenas pelo mal que causarmos, como também pelo bem que houvermos deixado de fazer“

 

 

Depoimento enviado dia 03 de janeiro de 2005 pela leitora Camila Teixeira Pereira (Porto Alegre, RS)

mila04@terra.com.br

Olá doutor, eu realmente fiquei muito contente em achar uma solução para a minha enxaqueca, que realmente estava atrapalhando a minha vida, tanto no estudo quanto no lazer. Obrigada novamente! E autorizo sim a publicação do meu relato no site para que outras pessoas iniciem a dieta e demais mudanças de hábitos e estilo de vida , pois certamente vale a pena!!!! Eu voltei a sorrir e gostaria que as outras pessoas também!

Tenho 21 anos e desde os 18 sofro de enxaqueca. Há menos de um mês adquiri o seu livro e resolvi mudar meus hábitos alimentares conforme sugerido: cortei o leite de vaca, comecei a comer bem mais frutas, tomar chá de gengibre e de alecrim, parei de comer pães e doces... e decidi que, a partir daquele dia, pararia de tomar analgésicos, pois estava tomando doses cada vez mais altas e que de nada adiantavam! Desde que comecei a mudança, percebi que nunca mais tive crises de enxaqueca, daquelas fortes que me deixavam imprestável, apenas tenho dores de cabeça leves que resolvo fazendo exercícios ou mesmo dormindo. Tomei apenas um comprimido de analgésico em todo esse tempo. Estou me sentindo muito bem, com mais energia e, principalmente, muito mais bem humorada!!!! Muito obrigada , doutor, por me ajudar a resolver esse problema que tanto me incomodava!!!

Depoimento enviado dia 03 de janeiro de 2005 pela leitora Anamaria Mendes (Rio de Janeiro, RJ)

carioca09@yahoo.com

(Este depoimento também se encontra no Orkut.)

A minha enxaqueca também estava relacionada ao sobe e desce dos hormônios. Estou seguindo a dieta recomendada pelo livro do Dr. Alexandre Feldman há quase 3 meses...resultados: - meu intestino funciona como relógio; - mesmo tendo cortado suplementos vitamínicos sinto mais disposição do que antes; - não estou tendo mais crises. Neste período aconteceu uma ameaça cortada com um simples tylenol (antes seria o mesmo que nada) - o sangramento no ciclo diminuiu consideravelmente - neste último período cheguei a esquecer que mestruaria pois não tive TPM alguma, apenas uma ligeira cólica no primeiro dia. Não me senti tolhida durante estes meses. Estou comendo muito bem e emagreci bastante. Meus amigos que me vêem mais magra não acreditam quando olham meu prato hehehe. Por tudo que me trouxe de positivo decidi continuar com os hábitos no meu dia-a-dia. PS: Já me exercitava com regularidade e tenho procurado dormir cedo, sinto uma disposição enorme quando faço.

Depoimento enviado dia 07 de outubro de 2004 pela leitora Nádia M. Cianelli de Aguiar (ES)

nadia.cianelli@gefco.com.br

2 Meses e Não Poderia Estar Melhor!!!

Bom dia Dr. Alexandre,

Estou lhe passando as informações sobre minhas condições após 2 meses de dieta. Realmente não acreditava que uma simples dieta fosse capaz de resolver um problema que venho buscando solução desde criança. Só resolvi fazer porque estava desesperada.

Completou 2 meses que estou seguindo sua dieta no dia 30/09/04. Durante este período, passei por 2 ciclos menstruais e não tive mais aquelas crises que me faziam ficar de cama por 2 ou 3 dias chegando à beira da loucura de dor.

O primeiro mês, eu passei sem sentir nada, apenas no período menstrual sentia uma leve e incômoda dor na cabeça, que ao tomar um comprimido de naratriptano melhorava; mas foi assim todos os dias do período. Agora no segundo mês, passei o mês inteiro sem sentir nada, e no período menstrual tive uma dorzinha incômoda na véspera do início do período e no dia do início; o resto do período sem sentir nada. Até as cólicas se foram.

Com esta dieta, não só minha enxaqueca melhorou cerca de 98%, mas também meu intestino que funcionava uma vez por semana, passou a funcionar todos os dias; não tenho mais tantas cãibras nos pés como costumava ter; passei a usar perfume novamente e,, para quem acha que precisa, em 2 meses emagreci 6 quilos e meio.

Estou maravilhada e me sentindo livre e viva novamente. Muito obrigada pelo trabalho que vem fazendo.

Atenciosamente,

Nádia M. Cianelli de Aguiar

Depoimento enviado dia 17 de maio de 2004 pelo leitor Gustavo de Paula Müller Garcia (DF)

guga.bsb@brturbo.com

Dr. Alexandre,

Sofro com cefaléias desde os dez anos de idade (estou com 41 atualmente). Ganhei seu livro como presente de aniversário, em janeiro de 2004, e gostaria de fazer um pequeno relato do que aconteceu.

Como disse anteriormente, minhas cefaléias começaram por volta dos dez anos de idade. Conseguia conviver com as crises, que não eram muito freqüentes, sem ingestão de nenhum medicamento. Durante meu curso de graduação (odontologia na Universidade Federal de Uberlândia) tive pela primeira vez o diagnóstico de enxaqueca através de um neurologista da universidade.

Porém, nos últimos dez anos a situação agravou-se. As crises ficaram cada vez mais freqüentes e com maior duração. Chegava a ficar três dias sem poder trabalhar. Em 1999, falaram-me a respeito de um neurologista de uma pequena cidade do interior. Fui até ele e comecei um tratamento preventivo com a associação de Corgard com Sibelium e Zomig para as crises. Parecia um milagre! Um, dois, três, seis meses e nenhuma crise.

Só que à medida que o tempo passava e as crises não vinham, meu humor ao invés de melhorar foi piorando.

Depressão! Só queria dormir e chorava sem motivo aparente. As pessoas que conviviam comigo não me suportavam mais (imagine: minha esposa estava grávida e meu filho com quatro anos).

Até que um dia disse a mim mesmo: "Ei, você estudou farmacologia um dia, lembra! Você está encharcado de medicamentos! Não tem motivo nem perfil de pessoa deprimida".

Resultado: abandonei o tratamento. As crises voltaram, pesadas como nunca. Andava com comprimidos de Zomig ou Sumax constantemente nos bolsos, e pior, quando eles faziam efeito era só por doze horas.

Bem, como disse, ganhei o livro de presente. Li com muita atenção e resolvi começar a dieta aos poucos. A princípio eliminaria o leite de vaca (tomando pela manhã a receita que está no livro), utilizaria o arroz integral e passaria a fazer uso do azeite extravirgem. Venho fazendo isso desde janeiro. AS CRISES DE ENXAQUECA DESAPARECERAM!!!

Estamos, agora, adotando o restante da dieta, não só para mim, mas para toda família.

Dr. Alexandre, só queria dizer uma coisa: obrigado.

Gustavo de Paula Müller Garcia

Depoimento enviado dia 21 de novembro de 2003 pela leitora Maria Elisa Schilling Cunha

Porto Alegre - RS

mescunha@terra.com.br

Dr. Alexandre,

Li seu livro recentemente e tenho seguido o tratamento sugerido há 1 mês e meio.

No início minhas dores não deram trégua. Não desanimei. Decorridos 45 dias, estou me sentindo muito melhor, e há vinte dias não tenho enxaqueca.

Há vinte dias não tomo Sumax, o que ocorria com frequência, pelo menos uma vez por semana. Estou muito feliz, pois em pleno ciclo menstrual não senti nenhuma dor. Antes era bem complicado, nos dois primeiros dias eu ficava praticamente "fora de combate".

Além de não sentir dor, tenho me sentido muito mais disposta. Caminho praticamente todos os dias pela manhã. Moro em Porto Alegre. Tenho feito propaganda do livro e do tratamento. Agradeço-lhe imensamente.

Maria Elisa.

Depoimento enviado dia 11 de agosto de 2003 pela leitora Sandra Mendes Furlin

Boa Vista - RR

sandrafurlin@hotmail.com

Dr.Alexandre,

Consegui, com louvor, atravessar os 90 dias da dieta proposta em seu livro Enxaqueca-Finalmente uma Saída. Os resultados foram maravilhosos.

Nunca mais tive aquelas crises fortes com pontadas na têmporas, ânsia e tudo mais.

Tenho tido sim, ainda, algumas dores muito fracas que passam em questão de uma ou duas horas (antes levavam até três dias) com auxílio de um medicamento que uso.

Tenho receio em comer certos alimentos e portanto, atingi o tal "porto seguro" ao qual o senhor se refere no livro. De quebra, emagreci três quilos (estava precisando).

Não senti a falta do açúcar como imaginava que sentiria. Aliás, muitas coisas que comemos, fazemos por mau hábito e não por necessidade do corpo.

Finalmente, tenho sido grande divulgadora do seu livro e do site também, aqui em minha cidade.

Obrigada doutor,

Sandra

Depoimento da leitora Prudenciana de Paiva Araújo - Caconde - SP

dsantamaria@uol.com.br

Dr. Feldman,

Gostaria que o Sr. perdesse cinco minutos do seu precioso tempo para ler esse depoimento que faço questão de registrar.

Este é o terceiro e-mail que passo para o Sr. e, felizmente, obtive resposta dos outros dois, por isso estou retornando.

Estou com 65 anos e tenho enxaqueca desde criança. No entanto, sempre levei uma vida regrada porque não durmo tarde, nunca bebi, nunca fumei, não gosto de carnes (eventualmente como peixe ou um pedacinho de carne vermelha muito raramente, no máximo duas vezes por semana).Adoro legumes, frutas e verduras, por isso classifico minha alimentação como saudável - porém, nunca consegui me libertar desta dor de cabeça.

Já fiz dezenas de exames de todos os tipos. Consultei inúmeros médicos (é bom frisar aqui que sigo à risca toda recomendação médica), mas nunca fiquei mais do que três dias sem dor, inclusive estive internada quando as crises eram muito fortes.

Sbmeti-me a quase tudo: acupuntura, homeopatia, sonoterapia e até extraí os dentes cisos pois um médico disse que os dentes cisos que não nasceram poderiam ser a causa da dor. De nada adiantou.

Tomei, nestes longos anos, praticamente todos os analgésicos, calmantes, tranqüilizantes, relaxantes que o Sr. pode imaginar. Até conheço por nome a maioria dos remédios e, muitas vezes, tomei os que eram indicados por amigos e vizinhos. Sempre disse comigo mesma que faria qualquer coisa para me livrar desta dor, inclusive submeter-me a uma cirurgia, se fosse o caso.

E tem sido um calvário, Dr. Feldman, porque a única coisa que realmente "me derruba" é a dor de cabeça. No mais, minha saúde é muito boa. Vejo pela quantidade de remédios que tomei até hoje diariamente, que já poderia ter comprometido meu estômago, fígado etc. Nada. Graças a Deus, não tenho doença alguma. Tive seis filhos, todos de cesariana (acredite!) e sempre fui muito disposta.

Mas ultimamente, eu já estava desanimando, porque não tinha mais a quem recorrer. O que me aliviava era só Dorflex (que estou usando já há seis anos, entre outros). Mas o médico recomendou que eu não o tomasse todos os dias. Só que eu não suportava a dor e continuava tomando. Na verdade, nem sei quantas cartelas de Dorflex já consumi.

Aí então, minha filha Leontina descobriu na Internet o livro Enxaqueca - Finalmente Uma Saída e o comprou. A partir desse dia, resolvi que iria fazer tudo o que estava recomendado no livro, rigorosamente.

Mas que bênção! Nestes 20 dias eu estou sem dor de cabeça. 20 dias! É um milagre! Nunca imaginei passar tanto tempo sem dor!

Acredito que vou ficar curada, graças a Deus e ao Sr., Dr. À sua inteligência, às suas pesquisas e à sua dedicação. Quero registrar o meu agradecimento. O Sr. deu um novo ânimo à minha vida. Encheu-me de esperança. Mas uma esperança concreta. Real.

Estaremos, definitivamente, ligados no seu site na internet, de olho nas novidades, nas novas descobertas.

A possibilidade de libertação desta dor implacável que persiste há tantos anos me deixa radiante!

Obrigada! Espero, um dia, conhecê-lo pessoalmente.

Prudenciana

 

ALGUMAS DICAS A SEREM SEGUIDAS

Se você tem Enxaqueca:

  • Procure não fumar ou ficar perto de quem fuma;
  • Evite o consumo diário de cafeína (café, refrigerantes, entre outros);
  • Beba água;
  • Não tome pílula anticoncepcional. Procure métodos sem hormônios;
  • Não faça reposição hormonal convencional;
  • Vá dormir mais cedo, e não pense que é o mesmo que acordar mais tarde;
  • Procure acordar todos os dias no mesmo horário;
  • Não "pule" refeições, especialmente a da manhã;
  • Exclua o leite de vaca de sua dieta;
  • Consuma derivados fermentados do leite, como iogurtes naturais, queijos e leites fermentados (como o kefir);
  • Não coma doces;
  • Evite o consumo de pães;
  • Evite o consumo de massas;
  • Evite chocolate em excesso;
  • Evite carne de frango, ela pode conter altos teores de antibióticos, hormônios artificiais entre outros aditivos;
  • Evite o consumo de produtos industrializados. eles podem conter substâncias desencadeantes;
  • Procure consumir carnes, ovos, peixes,frutas, verduras e legumesde cultivo orgânico.

 

 
 Conheça mais sobre a clínica Dr. Alexandre Feldman