A enxaqueca  
 
  Newsletter

Receba, gratuitamente, artigos sobre dor de cabeça e enxaqueca. Coloque seu e-mail no campo abaixo:

  Busca no Site Enxaqueca
  Saiba mais
O uso frequente de analgésicos comuns pelos portadores de enxaqueca pode acarretar em dependência.

  Testes on line:
  Aprenda a se conhecer

Menopausa e pré-menopausa

A menopausa é o resultado de um processo natural e gradual de redução das quantidades de hormônios sexuais, que resulta numa quantidade hormonal abaixo daquela necessária para a criação do ciclo menstrual. Entende-se por menopausa a cessação das menstruações. Em condições naturais, a pré-menopausa (que pode iniciar-se por volta dos 35 anos) representa o período de cerca de uma década, no qual as funções reprodutoras vão lentamente diminuindo, e trazendo consigo uma série de alterações físicas e psicológicas.

Por incrível que pareça, nas culturas e civilizações não industrializadas, com modo de vida primitivo, esse período passa praticamente imperceptível! A mulher passa da fase reprodutiva para uma fase mais profunda de amadurecimento e conhecimento das coisas e de si mesma.

Enquanto isso, para nós, "civilizados", a palavra "menopausa" ou "climatério" soa como o dobre dos sinos da morte: o fim da sexualidade feminina, o fantasma da infertilidade, a degradação do corpo na direção de uma velhice árida e ressequida, povoada pela artrite, osteoporose e flacidez.

Acredita-se, hoje, que essa má experiência de menopausa seja causada, na verdade, por uma combinação de fatores: dieta inadequada, estilo de vida pouco saudável, certos poluentes, uso incorreto de hormônios sexuais e, por que não, a propaganda e a mídia.

É preciso nos convencermos que a menopausa não é doença. Ademais, será então que a assim chamada "terapia de reposição hormonal" - em outras palavras, o estrógeno - vai mesmo resolver e prevenir tudo, desde problemas cardíacos, até a doença de Alzheimer, passando pela osteoporose?

O fato é que não existem indícios realmente confiáveis de que isso seja verdade, e abundantes os indícios confiáveis de que os estrógenos sintéticos são tóxicos e podem provocar o câncer.

A menopausa traz, naturalmente, uma melhora da maioria das enxaquecas. O uso de estrógenos, da maneira como são prescritos, tende a neutralizar essa tendência, podendo até piorar a enxaqueca já existente, ou desencadear enxaqueca em mulheres que jamais sofreram dela.

O verdadeiro equilíbrio hormonal envolve uma combinação e integração harmoniosa de todos os hormônios, e não apenas do estrógeno, como pretende a "terapia de reposição hormonal". Os hormônios atuam como instrumentos de uma orquestra, onde a meolida final depende da contribuição de cada um, no seu próprio timbre, ritmo e volume.

Assim, em situações de desequilíbrio de hormônios sexuais, é possível afetar negativamente os hormônios da tireóide (já percebeu como a maioria das pessoas com problemas de tireóide são mulheres?), paratireóide e supra-renal, além das interleucinas, entre outros.

E quando há desequilíbrio hormonal, tudo pode acontecer: intolerância ao stress, hipotireoidismo, osteoporose, colesterol alto, doenças cardiovasculares, enxaqueca, problemas de pele os mais variados, pressão alta, retenção de líquido, alergias, infertilidade, perda do desejo sexual, artrite e até câncer de mama e endométrio. A contribuição do clínico geral no tratamento reside justamente na sua visão global, e não específica apenas dos hormônios sexuais.

A assim chamada "reposição hormonal", da maneira indiscriminada que é praticada hoje, só contribui para criar novos problemas. O melhor é optar por métodos mais naturais de prevenção e tratamento de eventuais sintomas, e manutenção do equilíbrio dessa fase da vida.

Em meu novo livro, Enxaqueca - Finalmente uma Saída, com lançamento previsto para abril de 2003, você poderá encontrar uma explicação bem mais detalhada sobre o assunto.

 

voltar
envie esta página
para um amigo

 
 Conheça mais sobre a clínica Dr. Alexandre Feldman