post

O Melhor é Não Precisar do Médico

Um dos melhores motivos para se alimentar bem, dormir bem e praticar atividade física é preservar ao máximo a saúde de modo a não precisar recorrer a hospitais e remédios. Há no mercado excelentes profissionais de saúde e remédios bastante eficientes. Mas também existem profissionais incompetentes e distraídos – e você nunca sabe na mão de quem vai cair.

Você pode estar com uma crise de enxaqueca tão forte a ponto de procurar um hospital ou pronto-socorro próximo. Com sorte será bem atendido e sua dor de cabeça irá melhorar com o remédio.

Com um pouco menos de sorte, poderá melhorar porém “ganhar de brinde” efeitos colaterais bastante desagradáveis. Até mesmo remédios que não costumam causar grandes reações a ponto de serem vendidos livremente em balcão de farmácia, podem provocar ameaça à saúde e à vida se a pessoa possui uma sensibilidade específica e desconhece. Veja o caso da reação extrapiramidal, que pode ocorrer com medicamentos utilizados para o tratamento de enxaqueca no pronto-socorro.

Com azar, poderá acontecer a tragédia do tipo da que ocorreu em dezembro de 2010, com uma menina de 12 anos que, de acordo com as agências de notícias, foi ao hospital para simplesmente tomar um soro para sua diarréia e vômito e acabou tendo vaselina líquida injetada por engano na sua veia e, como consequência disso, morreu. Para essa tragédia não há outra palavra: descuido e incompetência.

Não pense que se você frequenta o hospital mais caro e “da moda” isso também não pode ocorrer. Erros dessa natureza podem acontecer em qualquer lugar. Bactérias potencialmente causadoras de infecções hospitalares e uma série de outras “fatalidades” podem ocorrer em qualquer hospital. E efeitos colaterais podem acontecer tanto na maca “caindo aos pedaços” daquele hospital público, quanto na cama “banhada em ouro” da “suíte presidencial” do hospital de alto luxo.

O melhor é não precisar de hospital, remédios e médicos. Isso só pode ser conseguido por quem tem boa saúde. E essa tem sido minha missão com meus pacientes: orientá-los a modificar suas vidas de modo que possam um dia se dar ao luxo de não precisar mais de hospitais, remédios e médicos – nem mesmo de mim. E a única maneira possível para isso ocorrer é através de certas mudanças de hábitos e estilo de vida. É sobre essas mudanças que eu falo sempre aqui no blog do site Enxaqueca, no Twitter, no Facebook , no meu outro site e, com muito mais riqueza de detalhes, no meu livro.

Comentários dos Meus Leitores

  1. Imagem de vera carmen wavzeniakvera carmen wavzeniak comentou

    Adorei a matéria acima e realmente depois q li o livre ,mudei meus habitos alimentares e comecei a praticar exercícios físicos nunca mais precisei ir a hospitais e me sinto ótima até emagreci estou muito feliz, se me der uma dor de cabeça, tomo um analgésico e logo me passa .
    Um abraço.

  2. Imagem de Diva Moraes FalcãoDiva Moraes Falcão comentou

    Dr. Alexandre Feldman,

    Gostei dessa matéria e neste momento recordo o seguinte:
    Sempre acompanhei meus pais à alguns hospitais quando precisavam ser tratados.
    Minha postura frente às enfermeiras era de uma verdadeira “loba”: sôro, remédios e qualquer tipo de procedimento eram rigorosamente checados por mim.
    Meu pai e minha mãe não ingeriam nada sem o meu prévio consentimento.
    Nunca aceitei remédios sem saber para que serviam ou remédios fora da caixa protetora.
    A maioria da população ao adentrar hospitais, fecham os olhos, e se entregam àquelas ou àqueles profissionais com uma confiança incondicional e comodista.
    Casos como a da garota de 12 anos, que faleceu em consequência da troca de frascos (vaselinaX soro), revela o despreparo adminstrativo e técnico do Corpo de Enfermagem do hospital onde aconteceu o infeliz episódio.
    Que esse infeliz episódio sirva para alertar aos adminstradores de hospitais, que a seleção de pessoal técnico
    tem que ser feito dentro do maior rigor.
    Num ambiente burocrático quando se erra, passa-se uma borracha e tudo fica bem, mas num ambiente hospitalar na qual se lida com vidas humanas um erro não tem volta.
    Vidas humanas são ceifadas pela incompetência e irresponsabilidade.

    Um abraço. Diva Falcão.

  3. Imagem de Solange MariaSolange Maria comentou

    Concordo que mudanças de hábitos comentados neste artigo só tem a contribuir positivamente em nossas vidas. Mas discordo que não iremos precisar, um dia, de mais médicos. Se todos seguissem os bons hábitos, mesmo assim ainda precisamos de orientações médicas para termos cada vez mais qualidade de vida. Digo no sentido de prevenção de novas doenças, das já existentes. Rotinas de exames devem ser solicitadas por médicos. E estas acredito que dificilmente serão abolidas. Vocês médicos serão sempre necessários em nossas vidas.
    Desejo a todos um Feliz Natal, com muita saúde!!!

    • Imagem de Dr. Alexandre Feldman comentou

      Obrigado Solange, pelo carinho e confiança! De qualquer modo, espero de coração que nós, médicos, sejamos cada vez menos necessários. Afinal, quem tem saúde não precisa de médico. A não ser para algo muito banal, como pedir algum exame de rotina – que se você tem saúde, resultará sempre normal!

Trackbacks

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Notify me by email when my comments gets approved.

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>